Meditação

Uma Descoberta Chocante!

Publicado em: junho de 2017 | Categorias: Meditação, Novidades, Sem categoria

 

Uma Descoberta Chocante!

 

Quando Deus enviou seu Filho ao mundo, Ele escolheu uma jovem simples e humilde, uma camponesa chamada Maria para emprestar seu ventre e ser a mãe do Salvador. Era uma moça pura, agraciada por Deus! O nascimento de Cristo aconteceria de maneira totalmente sobrenatural, pois não precisaria da semente do homem para que a vida fosse gerada no útero de Maria.

Maria era bem jovem e era desposada com José, ou seja, ela tinha um “contrato de casamento”, que era um comprometimento inquebrável com ele, diferentemente do que existe em nossa cultura hoje, por exemplo. Ela ia se casar com José e nunca tinha tido envolvimento sexual com homem algum.

Ela recebeu a visita do anjo Gabriel e ficou muito assustada, pois como poderia ela conceber sendo uma virgem? E ninguém jamais tinha presenciado tal coisa acontecer: Como uma jovem poderia engravidar do Espírito Santo? “É isso mesmo”, o anjo disse a ela, “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra […] e o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus. Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas.” (Lc 1: 35,37).

Maria poderia ter sido abandonada por José ao aparecer grávida, e até mesmo ser apedrejada pela sociedade. Mas o Todo soberano e poderoso Deus estava e continuará para sempre no controle de todas as coisas. Convém lembrar que Maria seria a mãe do Messias prometido, o Salvador da humanidade, mas a ênfase de grandeza não estava na pessoa da mãe, e sim na grandeza do Filho.

Que descoberta chocante para José! Pouco tempo antes do seu casamento, descobrir que sua noiva estava grávida! Será que ela tinha sido infiel a ele? O que fazer diante de uma situação tão humilhante e vexatória?

Imaginamos que essas e muitas outras indagações tenham ocorrido em sua mente. Todos os sonhos de José, suas expectativas em relação ao casamento ruíram, foram ao chão. No entanto, José era um homem íntegro e temente a Deus, e apesar de toda a sua dor, planejou romper seu compromisso e deixar Maria secretamente sem expô-la ou envergonhá-la. Mas Deus, em Sua soberania, visitou José em sonho, por meio de um anjo, que abriu seus olhos e sua mente para entender que tudo o que estava acontecendo tinha sido planejado desde a eternidade. Era uma obra miraculosa e o ser que nela estava sendo gerado era do Espírito Santo.

O bebê que haveria de nascer, como o evangelista Lucas narrou, “[…] será grande e será chamado Filho do Altíssimo […] reinará para sempre […] e o seu reinado não terá fim.” (Lc 1:31,32). Conforme o profeta Isaías anunciou, 700 anos antes do seu nascimento, Ele seria o Príncipe da paz, o Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade (Is.9:6).

Jesus tem muito a nos ensinar, por meio do seu nascimento, sua vida, sua morte e ressurreição. Jesus é o Deus encarnado que se esvaziou, deixando a glória por amor aos pecadores como eu e você. Ele morreu a nossa morte para que pudéssemos ter vida, e não uma vida miserável de migalhas, de tristezas ou de solidão, mas para que tivéssemos a verdadeira vida abundante em todos os aspectos.

Diante dos conflitos da vida, talvez muitos de nós estejam perturbados como José estava quando Maria ficou grávida pelo Espírito Santo. Talvez não estejamos entendendo o porquê de certas circunstâncias que estão acontecendo em nossa vida ou em nossa família. José, a princípio, não entendeu a importância daquele momento tão singular na vida de Maria, e enquanto Deus não revelou a ele o Seu plano eterno, ele foi tomando suas próprias iniciativas humanas para trazer uma solução ao seu sofrimento.

Não somos capazes de ver o amanhã porque somos pecadores e cheios de limitações e conhecemos as coisas apenas em parte. Mas o Filho do Altíssimo, que veio ao mundo e nasceu na mais humilde estrebaria em Belém, que não tinha onde reclinar a sua cabeça, entregou-se para salvar o povo dos pecados e pode transformar qualquer circunstância, por mais terrível que ela seja.

Quando uma descoberta chocante nos surpreender, é preciso lembrar que Natal é muito mais que luzes, troca de presentes, mesas fartas, banquetes e viagens… Natal é Jesus Cristo que “nos amou de tal maneira”, é o Deus Forte que pode, dos maiores “cacos”, amarguras e sofrimentos, extrair as mais lindas canções e derramar as bênçãos jamais imaginadas ou esperadas.

O apóstolo Paulo escreveu: “[…] mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo nosso Senhor.” (Rm 5:20,21).

“Ver a sua estrela é muito bonito, mas ver a sua face é muito melhor.” (Dwight L. Moody).  Celebre a vida de Cristo neste Natal, e que reine a alegria, a paz, o amor e a vida abundante que só Ele pode dar para você e sua família!

 

Rev. Osni Ferreira