Meditação

Alegria na esperança da salvação!

Publicado em: setembro de 2018 | Categorias: Meditação

Nesse clima de Copa do mundo ficamos impressionados com a reação do povo em geral quando há jogo de futebol. Tudo para, as ruas ficam desertas porque todos se concentram em frente de uma TV, com o coração batendo forte na expectativa de gols da seleção brasileira. E a reação quando a bola entra no gol!!! É indispensável comentar como cada torcedor reage com tanta euforia, gritaria e é só festa e comemoração. Isso tudo por uma causa momentânea, de um esporte que todo mundo gosta e vibra. É logico que é gostoso torcer e celebrar com a nossa seleção!!! Mas, que benefícios ou que mudanças isso traz para a vida do povo brasileiro?

Quando o apóstolo Pedro escreveu a sua primeira carta, logo no início do capítulo 1, era esse clima de êxtase, de alegria incontida que ele queria despertar nos seus leitores, mas por um motivo muito diferente. E o que Pedro escreveu soa como um brado de vitória para nós: graças a Deus que “nos regenerou para uma viva esperança, mediante e ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” 1 Pe 1: 3. Pedro queria trazer motivo de alegria para os cristãos da Asia Menor que estavam enfrentando perseguições terríveis por parte do Império Romano. Ele queria encorajá-los a permanecerem firmes em sua fé em Deus e não esmorecer diante das lutas e aflições. Havia muitos motivos para celebrarem embora vivendo em perseguição: eles tinham sido chamados para uma “viva esperança”, que se tornou possível por causa da obra de Jesus Cristo que morreu e ressuscitou dentre os mortos. Essa esperança cresce dentro do coração do cristão porque ela é viva, e ninguém pode destruí-la ou arrancá-la de dentro de nós.

O tempo pode destruir muitos tipos de esperanças que desvanecem e morrem. Mas a esperança do filho de Deus torna-se cada vez mais gloriosa e radiante porque nem a morte pode destruí-la. Essa esperança tem um nome, que o apóstolo Pedro chama de “herança” ou salvação, que está guardada para o cristão no céu. E o apóstolo Paulo escreve sobre isso dizendo: “Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus, e coerdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com Ele seremos glorificados” Rm 8:17. Convém lembrar que essa herança é totalmente diferente das heranças que herdamos aqui na terra, como posses e riquezas que recebemos dos nossos pais. Pedro fala de um tesouro que não perde seu valor, não estraga e nem pode ser roubado pelos ladrões. Por isso Jesus advertiu seus discípulos dizendo: “ Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam nem roubam; ” Mt 6; 19,20.

É esse tesouro espiritual, essa salvação que Jesus Cristo nos deu com sua própria vida como herança que devemos nos alegrar, vibrar e torcer. Por isso o apóstolo Pedro escreveu àqueles cristãos e para nós também: “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações” vs 6.  Nisso está a nossa verdadeira alegria, embora, muitas vezes, passando por provações aqui neste mundo. Nossos olhos devem estar no fato de que Deus está no controle de nossas vidas e que nada foge do seu propósito. Quando Pedro diz “se necessário”, precisamos entender que há momentos que Deus nos permite passar pelos vales da vida para nos disciplinar e aperfeiçoar nossa fé. As provações são dolorosas muitas vezes e, negar a dor, seria ainda pior no sentido de receber a cura. Precisamos ser corajosos sim, para enfrentar os problemas da caminhada, mas também precisamos ser humildes para aceitar a disciplina de Deus a fim de crescer em maturidade espiritual quando Ele permitir que passemos por provações. Alegre-se!!! Há uma herança eterna indestrutível que aguarda todo aquele que ama e confessa o Senhor Jesus Cristo em sua vida. Que Ele abençoe grandemente você sua família!