Meditação

Mãe! Tarefa Árdua e Sublime!

Publicado em: agosto de 2017 | Categorias: Meditação

Mãe! Tarefa Árdua e Sublime!

 

Deus dotou o organismo e a personalidade da mulher de características especiais, que possibilitam sua função de mãe, de uma forma normal, agradável e eficiente mesmo quando existe tanto sofrimento e até mesmo sacrifício. A Bíblia nos relata sobre inúmeras mulheres que foram mães extraordinárias, que fizeram toda diferença na vida de seus filhos. Mães cujas vidas foram de inteira submissão ao Senhor, e continuam nos falando através dos séculos. Neste mês do lar queremos homenagear aquela que nos trouxe à luz, buscando alguns modelos bíblicos para que possam fortalecer as mães, diante das lutas cotidianas que todas elas enfrentam.

Eunice – a mãe sábia. Esta foi uma mulher que soube instruir seu filho Timóteo no temor e na instrução do Senhor. Em momento algum a Bíblia fala do marido de Eunice, de maneira que ela poderia ser uma viúva e nem por isso descuidou de sua tarefa e responsabilidade de educar o filho, que recaía totalmente sobre ela. Não importa qual a situação familiar dela, mas as Escrituras ressaltam o zelo e o compromisso que Eunice e Loide, a avó, tiveram incutindo o caráter cristão na vida do jovem Timóteo.   O apóstolo Paulo prestou homenagem a essas duas mulheres conforme lemos em sua carta: ‘Tu porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste. E que desde a infância sabes as sagradas letras…” (2 Timóteo 3:14,15).

Ana – a mãe intercessora. A Bíblia fala de mães que intercederam com grande clamor pelos seus lares e seus filhos, como no caso de Ana que era estéril. Ela desejava ardentemente ter um filho, e ano após ano, ia com seu marido ao templo para adorar e sacrificar ao Senhor. Lá, Ana se derramava diante do Senhor em oração silenciosa, ao ponto do sacerdote Eli interpretá-la mal e considerá-la embriagada. Ela foi humilde e não se irou contra o sacerdote Eli, mas o respeitou e explicou os seus motivos. Entendemos que Deus adiou o sonho de Ana porque os seus sonhos eram maiores que os dela. Ela era uma mulher intercessora e orou a Deus com tanta intensidade, como está escrito ao seu respeito: “… com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente… seus lábios se moviam, porém, não se ouvia voz nenhuma” (1 Samuel 1:10). Em sua tribulação e angústia, Ana demonstrou seu profundo amor a Deus e sua inteira dependência dEle. Ela foi ouvida e agraciada, e em pouco tempo, teve em seus braços o pequeno Samuel. Deus ouviu a oração dessa mãe e Samuel foi um grande homem, humilde servo, um grande intercessor que certamente aprendeu com o modelo de sua mãe, embora ainda pequeno fora entregue no Templo ao sacerdote Eli, conforme o voto que fizera ao Senhor.

Joquebede – a mãe cheia de fé. Esta foi um exemplo de mãe que confiou em Deus. Aplicou os princípios da fé cristã que aprendeu em seu lar desde cedo, quando o rei do Egito oprimia os filhos de Israel, ordenando que todos os filhos meninos recém-nascidos fossem lançados no rio Nilo (Êxodo 1:22). Ela foi corajosa mesmo sendo escrava e vivendo sob um regime de opressão e medo. Ela planejou o livramento do seu bebê que veio a ser chamado Moisés, porque das águas ele fora tirado pela filha de Faraó.  Você pode imaginar a agonia de uma mãe, acabando de dar à luz, e saber que seu bebê seria assassinado? Mas ela recusou entregar-se a um sistema diabólico que custaria a vida de seu filho. Foi nesta circunstância que essa mãe sábia, motivada por uma grande fé, orou, clamou com intensidade de coração e lágrimas e viu o impossível acontecer. Deus lhe trouxe uma revelação e deu as estratégias para salvar a vida do pequenino, que fora colocado num cesto de junco e posto no meio da vegetação à margem do rio. Por interferência divina, aquela criança volta aos braços de sua própria mãe (Êxodo 2:4-8). Joquebede teve o privilégio de amamentar e criar o menino até por volta dos 12 anos, período em que ela pôde inculcar nele os ensinos e o amor de Deus, que ficaram para sempre em seu coração, preparando-o para cumprir os propósitos de Deus na libertação do povo que vivia sob o jugo de Faraó.

Mulher! Quer seja você mãe, avó, tia ou madrasta, procure inspirar-se nos exemplos dessas mães que venceram porque confiaram acima de tudo, no Senhor. Faça da oração uma prioridade em sua vida e coloque-se na brecha pela salvação e santificação de seus filhos. Busque nEle a sabedoria, a graça, a fé através da oração e intimidade com o Pai, para que você seja um modelo de vida cristã. Sua tarefa, mãe, pode ser árdua, mas é sublime. Que seus filhos sejam guiados à presença do Senhor tendo como inspiração a sua própria vida. Abraham Lincoln afirmou: “Tudo quanto sou ou espero ser devo à minha mãe”!

Rev Osni Ferreira