fbpx

Meditação

O Sacrifício de Cristo na Cruz!

Publicado em: novembro de 2019 | Categorias: Meditação

Durante esses dias estamos lembrando a realidade da morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Jamais podemos estar focados apenas na morte de Cristo, pois Ele não ficou no túmulo. A ressurreição de Cristo é o ponto mais alto e significativo do cristianismo, pois como o apóstolo Paulo afirmou: “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé” (1 Co.15:14). No entanto, não haveria ressurreição se Cristo não tivesse morrido.

Jesus fez-se pecado por nós, ou seja, ele assumiu a dor, o peso do pecado de cada um, quando foi crucificado e morto, padecendo a morte mais vergonhosa e dolorosa que havia. Naquela época somente um criminoso era crucificado e Jesus não somente foi morto, mas morreu numa cruz enfrentando toda vergonha, humilhação e dor que não conseguimos dimensionar tamanho sofrimento. O escritor aos Hebreus 13:12 diz: “Por isso, foi que também Jesus, para santificar o povo, pelo seu próprio sangue, sofreu fora da porta”.

No V.T. o Sumo sacerdote, uma vez por ano, entrava no Santo dos Santos para fazer a expiação pelos seus pecados e pelos pecados de todo o povo, e da nação. Isso tudo acontecia de acordo com as leis que Deus tinha dado a Moisés. Era aspergido o sangue de um animal sem defeito sobre o propiciatório, e assim era oferecido o holocausto. Todo esse ritual de derramamento de sangue de um animal que era praticado no Antigo Testamento apontava para Cristo, o Sumo Sacerdote maior, que haveria de vir e uma vez por todas, pagaria pelos pecados e todas as transgressões da humanidade. O sangue provindo de animais seria um sacrifício insuficiente. Somente o Cordeiro perfeito, sem pecados, Jesus, poderia morrer pelo pecado de outros.

A expiação de Cristo representa a remoção da dívida que estava sobre nós pecadores. Ele pagou o preço em nosso lugar, como está escrito: “tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz; e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” Cl 2:14,15. Jesus zerou a nossa dívida e Satanás foi despojado do poder que tinha de intimidar e controlar a mais perfeita criatura de Deus, que somos nós, feitos à sua imagem e semelhança. A morte de Cristo e Sua ressurreição retira de sobre nós o medo da morte eterna e do julgamento imposto pela lei do pecado. Será que haveria bênção maior do que esta, de sermos livres da lei do pecado? A própria Bíblia afirma “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” Rm 6:23.  Somente a graça do Deus que é Soberano, que é Pai Todo Poderoso, de Deus que é Amor e misericórdia, poderíamos receber tão grande salvação.

Que possamos refletir sobre a morte de Cristo na cruz; que possamos refletir que o pecado gera separação de Deus; mas que possamos ter plena convicção, de que Deus enviou Seu Unigênito Filho, em propiciação pelos nossos pecados, morrendo a morte de cruz, para nos atrair para Si, de maneira que tenhamos a vida eterna com Deus. Receba Jesus Cristo em sua vida e desfrute a vida plena e abundante que só Ele pode dar.