Meditação

Por que comemorar o Natal?

Publicado em: agosto de 2018 | Categorias: Meditação

“Não temais! Eis aqui vos trago boa nova de grande alegria, que será para todo o povo; é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” . Lc 2: 10,11

Ninguém sabe exatamente o dia em que Jesus nasceu, mas a história bíblica nos garante que Ele nasceu e viveu entre os homens há mais de dois mil anos atrás. O que importa isso para humanidade hoje? A verdade é, que conhecer Jesus, pode transformar totalmente uma vida, uma sociedade, uma nação. Ele pode moldar o caráter do ser humano, impactar sua maneira de ser e ver o futuro e também mudar seu estilo de vida. E muito mais que isto, determinará o destino eterno do homem e da mulher.

Será que diferença faz saber quem é Jesus? Para compreender quem Ele é precisamos começar examinando as Escrituras Sagradas e ver os relatos sobre o seu nascimento e sua vida. Cerca de setecentos anos antes do nascimento de Cristo, o profeta Miquéias escreveu que de Belém de Judá, viria aquele “cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq 5:2). A Bíblia também ensina que Jesus nasceu de uma virgem e que sua concepção foi pelo Espírito Santo, e os anjos cantando anunciaram a sua chegada, louvando e glorificando a Deus dizendo: “Gloria a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem Ele quer bem” (Lc 2:14).

Jesus é o Príncipe da Paz! O mundo vive em guerras, mas todos querem de alguma maneira encontrar a paz. Nações fazem tratados para construir a paz, mas a paz não é aquela descrita em tratados, e sim aquela estabelecida nos corações daqueles que permitem a entrada do Rei Jesus, o Príncipe da paz reinar em suas vidas. Jorge Muller escreveu que “não podemos fazer maior serviço cristão que o de, constantemente, promover a paz, impedir a desunião entre as pessoas e unir amigos e vizinhos pelos laços do amor de Deus”. Paz, a maior necessidade do ser humano, significa muito mais que o cessar de uma guerra ou um conflito interior, que crença ou religião alguma são capazes de produzir. Foi por isso então, que Deus enviou seu Filho ao mundo, Jesus Cristo o Príncipe da paz. Essa foi a mensagem da milícia celestial anunciando aos pastores o nascimento do Cristo que se fez homem e habitou entre nós.

É natal! Vamos celebrar: JESUS NASCEU! Convicto dessa grande verdade do nascimento de Jesus, Sto. Agostinho afirmou: “Foi para que os homens pudessem nascer de Deus que Deus primeiro nasceu dos homens. O Cristo é Deus e o Cristo é também um homem nascido como os outros. ” Com relação a sua vida terrena, nasceu de uma mulher, Maria, a escolhida de Deus para ser a mãe do Salvador; Ele foi criado em Nazaré e trabalhou na sua juventude, ajudando no ofício de seu pai José. Quando tinha apenas 12 anos, assentou-se com os doutores da lei, no templo, e discutia questões teológicas e todos se admiravam de sua inteligência e sabedoria conforme narra o evangelista Lucas. João Batista, o último entre os profetas, declarou a seu respeito “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1:29); e no seu batismo veio do céu a voz do Pai confirmando: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”(Mt 3:17).

Como Deus homem, foi à cruz e padeceu a mais terrível morte para que possamos ter a verdadeira vida. Mas não ficou preso à sepultura, pois Deus o levantou da morte ao terceiro dia e vivo está à direita do Pai. Com sua ressurreição Jesus provou de uma vez por todas, que há vida eterna após a morte, para todos os que Nele creem (Jo 11:25,26).

Não há Natal sem o reconhecimento e a aceitação pela fé, de quem é Jesus. Ele, o