fbpx

Meditação

A BONDADE DE DEUS

Publicado em: dezembro de 2019 | Categorias: Meditação

De uma forma errônea foi criado na mentalidade do povo, uma ideia de que Deus é punitivo e severo. Todavia, esses não são atributos do Deus único e verdadeiro. Deus é amor, Deus é bom, Deus é perfeito. Quando a Bíblia e a teologia cristã declaram que Deus é bom, não é o mesmo que dizer que Ele é justo ou santo. A Santidade de Deus é proclamada do céu com vozes de trombetas e ecoa na terra pelas vozes dos santos e sábios em toda parte. No entanto, não estamos neste momento considerando a Sua santidade, e sim a sua bondade, que é algo totalmente diferente.

A bondade de Deus é sua disposição cordial, benevolente, e plena de boa vontade para com os homens. Ele é benigno e compassivo para conosco. Sua atitude para com todos os seres morais é sempre aberta, franca e amiga. Pela sua própria natureza Ele se inclina a conceder bençãos e tem profundo prazer na felicidade de Seu povo.

Que Deus é bondoso está implícito em cada página da Bíblia. E essa ideia precisa ser aceita como parte integrante da fé, como o é o trono de Deus, constituindo o alicerce de todo pensamento sadio a respeito de Deus, tão necessário a conduta moral. Se não aceitássemos a bondade de Deus, estaríamos negando a validez de todo conceito e julgamento moral. Se Deus não fosse bom, não poderia haver distinção entre bondade e crueldade, o céu poderia ser inferno, e o inferno poderia vir a ser céu.

A bondade de Deus é o motivo de todas as bênçãos que Ele nos outorga dia a dia. Deus nos criou pela bondade do seu coração e nos redimiu pela mesma razão. A Bíblia deixa bem claro que a bondade de Deus é a base para todas as benções divinas. A bondade divina, como um dos atributos de Deus, tem o próprio Deus como causa, sendo infinita, perfeita e eterna. Como Deus é imutável, isto é, não sofre nenhum tipo de mudança, a intensidade de sua benignidade não sofre variação. Ele nunca foi mais bondoso ou menos bondoso do que é agora. Ele não faz acepção de pessoas, mas envia a chuva sobre justos e injustos, e faz o sol brilhar sobre os maus e os bons. A causa de sua bondade está em si mesmo. Os que recebem a sua bondade são seus beneficiários sem que tenham méritos próprios ou mereçam recompensa.

O salmista ao descrever a bondade de Deus conduzindo o povo na travessia cheia de lutas pelo deserto, os conclamava: “Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens”. Sl 107:15