Devocionais

Diante das tempestades

Publicado em: maio de 2020 | Categorias: Devocionais

Devocional 47/50 – Dia 29/ maio

Após a leitura deste texto, fica um questionamento, o porquê de Lucas ter narrado com tantos detalhes sua viagem de navio e seu naufrágio, em detrimento aos demais incidentes, possivelmente mais significativos na vida de Paulo. Lucas utilizou 44 versos para contar esta história envolvente. Paulo não estava indo para Roma da maneira que planejara inicialmente, mas Deus esteve com ele por todo o caminho, e isto se tornou claro para os incrédulos. Paulo interveio quatro vezes durante a viagem. Sua primeira intervenção foi enquanto estavam ancorados em Bons Portos, na ilha de Creta. Ele foi contrário a navegar para Roma nas condições climáticas do inverno que havia começado. O problema era que o porto não era adequado para se atracar por lá durante o inverno.

Uma vez que o navio transportava prisioneiros, o centurião que era o responsável pela viagem, mais do que inclusive o capitão ou o proprietário do barco, decidiu ir em frente. Isto se provou ser um grande erro. Os ventos eram contrários e o medo de naufrágio era tão grande e real que tiveram que amarrar cordas em torno do navio para que não se despedaçasse. As coisas estavam muito ruins e todos perderam a esperança.

Depois veio uma segunda intervenção de Paulo. Ele disse a todos que um anjo de Deus lhe tinha assegurado de que iriam chegar a Roma e não haveria nenhuma perda de vida. Isto deve ter sido um real encorajamento tanto para a tripulação quanto para os soldados. Isso também mostra que Paulo estivera orando pelas vidas dos que estavam a bordo do navio.

Podemos comparar a nossa vida cotidiana, como uma viagem em alto mar, alguns momentos tranquilos e outros turbulentos. Foi Jesus quem permitiu que o vento soprasse. Se Jesus o enviou, Ele não vai deixar seu barco afundar, mesmo que você seja um marinheiro de primeira viagem.

Deus lhe direciona para algum lugar, e o mar está tranquilo, depois de um determinado tempo, começa a ficar turbulento. Tudo está calmo até que chega uma notícia, um fato, uma conversa. Então a brisa suave torna-se uma tempestade. Aquela confiança que você tinha no Senhor pode ficar abalada e sua vida começa a balançar como um barco. Onde posso atracar o meu barco? Somente existe um porto seguro, e Ele se chama Jesus Cristo.

 

Rev. Carlos Roberto Cruz